Seja um Ativista Seja um Associado Faça uma Doação Lojinha Adote Sobre a PEA

 

Página Inicial

Animais
Eventos
Meio Ambiente
PEA

 

Ajude a PEA

 

Ajude a combater os maus tratos e o abandono de animais. Seu apoio é muito importante.

Faça a Diferença

Clique Aqui

Você também pode ajudar

efetuando sua contribuição nos bancos abaixo

 

Banco Itaú

 Agência: 1574

Conta Corrente: 22004-0

 

Bradesco

  Agência: 0665-3

Conta Corrente: 127.526-7

 

CNPJ: 05.872.606/0001-30

 
Acesse, Copie, Divulgue

 

 

Siga a PEA

 

 

Notícias - ANIMAIS


 

Incêndio na Chapada dos Veadeiros já é o maior da história, diz ICMBio

As equipes que trabalham no combate ao fogo que atinge o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, em Goiás, dizem que este já é considerado o maior incêndio da história da reserva ambiental. Apesar disso, elas acreditam que a fase mais intensa do fogo já passou e esperam que as chamas sejam controladas até o fim desta semana.

"Esta é a maior queimada da história do parque. É a maior força de combate da história do país. Nunca se usou tamanha estrutura, com tantas aeronaves, em um combate a incêndio no país", afirma o coordenador de prevenção e combate a incêndio do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Christian Berlinck.


O primeiro incêndio na Chapada dos Veadeiros começou há 17 dias, em 10 de outubro, e foi controlado seis dias depois. Mas, no dia seguinte, novos focos surgiram, e há mais de 10 dias brigadistas e voluntários tentam combater aschamas. A Polícia Civil suspeita que o incêndio seja criminoso.

As chamas já estão sob controle na maior parte do parque, segundo brigadistas, e apenas uma linha de fogo segue descontrola. "É uma área de difícil acesso, mas, se não acontecer mais nada, se não tiver outro início de queimada, esta parte será controlada até o final de semana", diz Berlinck.

Dificuldade no combate

Entre os principais problemas listados para se combater o fogo estão as altas temperaturas e a baixa umidade relativa do ar. Outro ponto é o vento forte, que deixa as chamas com comportamento inconstante.

O brigadista João Nogueira trabalha na área há três anos e nunca tinha visto nada tão devastador. Para ele, o vento é o principal inimigo. "Domingo foi o dia mais difícil. Combatemos uma área grande e estávamos esperando para voltar para a base. Quando vimos, o vento fez ressurgir as chamas e a levou para outra área. Perdemos o trabalho de um dia inteiro", conta.

O chefe de brigadas, Valdeci da Silva Carvalho, trabalha no parque há dez anos e esta é a quarta vez que participa de um combate a queimadas. "Nunca houve uma como essa. Trabalhar aqui não é só uma forma de sustento, você se apaixona por isso aqui e, quando sobrevoa a região, é muito triste ver tudo queimado”, lamenta.

Homens e aviões

Cerca de 200 brigadistas e bombeiros tentam controlar a queimada, e há dificuldade de encontrar água no parque para recarregar os reservatórios. A Força Aérea Brasileira cedeu um avião Hércules para ajudar no trabalho, despejando água sobre os focos de incêndio.


Outros aviões também são usados diariamente. Até agora, mais de 1 milhão de litros de água foram usados para combater as chamas.


As prefeituras de Alto Paraíso e Cavalcante, no noroeste goiano, decretaram na segunda-feira (23) situação de emergência devido o agravamento do incêndio que atinge o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros.


Fonte: G1

Data: 27/10/2017 09:09:33

Compartilhe a notícia:

>voltar<