Seja um Ativista Seja um Associado Faça uma Doação Lojinha Adote Sobre a PEA

 

Página Inicial

Animais
Eventos
Meio Ambiente
PEA

 

Ajude a PEA

 

Ajude a combater os maus tratos e o abandono de animais. Seu apoio é muito importante.

Faça a Diferença

Clique Aqui

Você também pode ajudar

efetuando sua contribuição nos bancos abaixo

 

Banco Itaú

 Agência: 1574

Conta Corrente: 22004-0

 

Bradesco

  Agência: 0665-3

Conta Corrente: 127.526-7

 

CNPJ: 05.872.606/0001-30

 
Acesse, Copie, Divulgue

 

 

Siga a PEA

 

 

Notícias - ANIMAIS


 

www.pea.org.br/cadastro/controle/controle.asp

Quatro filhotes de macaco-prego foram apreendidos pela Polícia Rodoviária Federal, no domingo, 5, quando eram transportados no bagageiro de um ônibus, em Ourinhos, interior de São Paulo.

Os agentes faziam inspeção de rotina quando localizaram uma bolsa grande, com dois engradados plásticos contendo os pequenos primatas. O dono da bagagem foi identificado e recebeu voz de prisão por tráfico de animais silvestres.

A abordagem aconteceu no km 345 da Rodovia Transbrasiliana (BR-153), próximo da divisa de São Paulo com o Paraná. O homem contou aos policiais que embarcou com os animais na cidade paranaense de Londrina e receberia R$ 500 para entregá-los em São Bernardo do Campo, na Região Metropolitana de São Paulo. Ele disse que seria procurado na rodoviária da cidade no ABC paulista por uma pessoa que desconhecia.

Os animais foram encaminhados à Polícia Ambiental de Ourinhos e, após avaliação por um veterinário, foram levados para uma entidade de acolhimentos de animais silvestres em Assis. Eles serão tratados até ganharem condições de serem devolvidos à natureza. O suspeito foi liberado após prestar depoimento e responderá pelo crime em liberdade.

Os macacos-pregos são considerados animais em situação de quase ameaça na natureza. Em alguns Estados, esse primata é caçado para ser treinado e vendido como animal doméstico.

Em São Paulo, com a destruição de seu habitat natural, o macaco-prego adaptou-se a regiões urbanizadas, vivendo em fragmentos de Mata Atlântica. Na natureza, o primata tem sido vítima do vírus da febre amarela.

Fonte: R7

Data: 6/11/2017 13:40:35

Compartilhe a notícia:

>voltar<